Taís Isabel Dutra

0 330

 

Como um processo de descoberta de si e da ampliação das inúmeras possibilidades dentro do mundo do trabalho, a orientação profissional e vocacional, de formas amplas, têm como propósitos finais fortalecer o estudante para a escolha profissional.

Quando falamos de Orientação Profissional logo nos lembramos de uma pessoa ou de um grupo de pessoas na iminência da escolha da carreira profissional e, geralmente, jovens adolescentes. Jovens esses às vésperas de fazer uma das escolhas mais importantes da sua vida: a carreira a seguir, a área de estudo sob a qual se dedicarão muitas e muitas horas, muitos e muitos anos.

Como um processo de promoção do autoconhecimento, pensar orientação profissional, é também pensar além na escolha da profissão,é pensar também no estilo de vida a seguir, nos ambientes que serão frequentados, nas pessoas com as quais conviveremos em decorrência desta escolha, no projeto de vida, nas nossas vontades e habilidades, por exemplo.

Muitas são as possibilidades, muitas são as exigências, muitos são os conflitos internos, muitas são as indecisões, os medos, as dúvidas. Muito vasto é o mercado de trabalho, as várias carreiras, os vários campos de atuação profissional.

E é no papel de facilitador que entra o trabalho do orientador profissional e de uma boa orientação profissional: no processo de proporcionar autonomia para a escolha, o autoconhecimento, de esclarecer dúvidas sobre as profissões e afastar possíveis fantasias que possam haver acerca das carreiras, ou as possíveis influencias que a família pode oferecer. É sustentar a construção conjunta de um caminho para a tomada de decisão para a direção da carreia a seguir.

Cabendo então ao psicólogo auxiliar a pessoa em sua escolha, sem interferir, somente facilitando o processo de decisão, deixando que a pessoa descubra seus próprios caminhos, auxiliando com seu olhar humanizado e com sua lente de ver a pessoa como um ser contextualizado, de um sujeito como um organismo e em relação com o mundo, fazendo com que a própria pessoa descubra seus possíveis caminhos.

Taís Isabel Dutra

Psicóloga – CRP 12/09076